História

A JS é uma organização de todos os jovens que se revêm nos valores da Esquerda Democrática e que estão empenhados na transformação e modernização da sociedade portuguesa, no sentido de uma maior justiça, solidariedade e igualdade de oportunidades.

A JS desenvolve uma acção voltada para a politização dos jovens portugueses, dando voz aos seus interesses e promovendo a sua intervenção social.

A JS diz-se socialista porque encontra no Socialismo Democrático um programa de mudança social, atento aos valores da Liberdade e da Democracia, que se pretende próximo dos jovens e das suas aspirações concretas...

A JS bate-se pela igualdade de oportunidades entre todos os jovens , na sua realização pessoal e social, na afirmação livre da sua personalidade, na fruição cultural, no desporto, na fruição do grandes espaços e no lazer.

Como funciona a JS?

A JS funciona de forma democrática e descentralizada. No plano local está organizada em núcleos de residência, de escola ou de âmbito sectorial, que nalguns casos se constituem em Concelhias (que cobrem quase todo o país).

No plano distrital a JS organiza-se em Federações (eleitas em Convenções Distritais) que gozam de larga autonomia.

No plano nacional a JS funciona ao nível da Comissão Nacional (órgão colegial deliberativo, eleito em Congresso Nacional), do Secretariado Nacional (órgão executivo eleito em Comissão Nacional) e Secretário Geral (eleito por um mandato de 2 anos, em Congresso Nacional).

Como intervém a JS?

A JS está representada em todos os órgãos do Partido Socialista, bem como nos cargos políticos para os quais militantes seus tenham sido eleitos, nas Autarquias (Juntas de Freguesia, Assembleias Municipais, Câmaras Municipais), nas Assembleias Regionais das Regiões das Regiões Autónomas, na Assembleia da República e no Parlamento Europeu. A JS integra também o Conselho Nacional de Juventude (de que é membro fundador), intervêm no mundo sindical e está presente, através da participação individual de centenas de estudantes socialista, nas Associações de Estudantes do ensino superior.

A JS europa e no mundo

 
A JS integra a maior organização mundial de juventude, a IUSY (União Internacional das Juventudes Socialistas). Actualmente a JS integra o Bureau da IUSY (orgão máximo da internacional, secretariado mundial da organização). A nível Europeu a JS participa na ESY (Juventudes Socialistas da Europa), em que se integram organizações oriundas de todos os países do Continente Europeu e do Mediterrâneo. No âmbito da Comunidade Europeia a JS é membro fundador da ECOSY (Juventude Socialista da Comunidade Europeia), organização em cujo Bureau a JS tem assento.

A JS e o movimento associativo

A JS defende um movimento associativo estudantil liberto de tutelas governamentais ou partidárias.

A JS não promove candidaturas partidárias, antes favorece a participação, a título individual, dos seus militantes no associativismo estudantil. Os partidos e as AE’s têm campos de actuação diferentes. A ingerência organizada nos assuntos associativos desvirtua o associativismo, pressupondo uma dependência dos .objectivos políticos das AE’s relativamente aos objectivos politico-partidários. A AE’s só perante os estudantes devem, legitimamente, responder. Tal não significa que os estudantes devem, legitimamente, responder. Tal não significa que os estudantes com filiação, nomeadamente na JS, não tenham, individualmente, iguais direitos e deveres de participação nas questões da sua escola e da sua AE.

A JS preconiza um associativismo despartidarizado mas fortemente politizado, crítico e intransigente no seu compromisso com os interesses dos estudantes
 

LEGISLATIVAS 2015

 

Juventude Socialista da Guarda

Mulheres Socialistas

Acção Socialista

Novas Fronteiras

Syndicate content

2009 - © Plataforma de Consultores / Sentido Comum · Mapa do Site

Candidatos à Assembleia da República

O PS é a alternativa e a mudança

É esta a nossa Equipa